[GER-HU] 6.1 – Apostila

USO DA ÁGUA

1) Introdução:

Este ano é considerado pela ONU o Ano Internacional da Cooperação pela Água. Por isso, todos os assuntos relacio­nados à água são importantes para os vestibulinhos. Fique atento pois nesta aula abordaremos alguns deles.

 

2) Ciclo Hidrológico:

É o ciclo da água, iniciado com a evaporação da água do mar, o seu transporte em direção ao continente, sua precipitação e drenagem em direção ao oceano, fechando ao ciclo. Não podemos esquecer que existem três possibilidades para a água da chuva quando ela chega à superfície. As primeiras gotas evaporam, as próximas vão infiltrar e quando o solo fica saturado, temos o início do escoamento.

A água que infiltra no solo forma o lençol freático, que em um prazo maior, também se dirige para os oceanos. Ou seja, também conclui o ciclo hidrológico. Além disso, é importante conhecer o papel das florestas, que ao realizar a fotossíntese transpira, levando vapor d’água para a atmosfera e ajudando a água a chegar mais no interior do continente. Quando o homem desmata, podemos reduzir a quantidade de precipitação da região desmatada e do entorno.

Uma importante informação é sobre a disponibilidade da água no planeta. Dê toda água disponível, apenas 2,7% é doce. Do total 0,01% são de fácil acesso, ou seja, encontrada em rios e lagos. O restante da água doce está congelada ou nos lençóis subterrâneos.

 

3) Irrigação:

Como sabemos à pluviosidade não é regular em todas as partes do planeta. E por mais que o Brasil possua uma das maiores reservas de água doce do mundo, existem lugares com déficit hídrico, como o sertão nordestino, que usa as águas do rio São Francisco para irrigação e produzir frutas principalmente para exportação. Este rio é um dos maiores do Brasil e as obras de transposi­ção estão em andamento para levar parte de suas águas para lugares ainda mais secos. Esse projeto é conhecido como Transposição do Rio São Francisco, levando água ao semiá­rido brasileiro.

Durante muitos anos o sertão nordestino foi considerado uma das regiões mais pobres do mundo. Os políticos cul­pavam a seca pela pobreza da região. Hoje em dia, sabemos que a pobreza é mais um problema da esfera política do que natural. Um exemplo disso é em Israel, que exporta tecnolo­gia agrícola para plantar em regiões áridas, transformando o que era um deserto em uma área cultivável.

 

4) Pecuária:

A pecuária é uma das atividades que mais consomem água, além de agravar alguns problemas ambientais, como o desmatamento, queimadas, redução da biodiversidade e de­gradação do solo, pois aqui no Brasil ela é extensiva e ocupa muito espaço, já que nesse modelo o gado é criado solto. Ao desmatar ou queimar uma floresta para fazer um pasto, estamos reduzindo a evapotranspiração e consequentemente reduzimos o volume de chuvas. Em algumas regiões de in­tensa chuva, como no norte do Brasil, ao retirar a vegetação nativa, deixamos o solo exposto e aumentamos a lixiviação.

 

5) Polêmicas:

A falta de água no futuro é um problema muito discutido pela mídia, graças ao crescimento populacional. O problema é simples de entender, mas não de resolver. Veja:

 

⇒ a população cresce e consequentemente o consu­mo de água aumenta;

⇒ com o aumento populacional, precisamos do au­mento da produção agropecuária, que além de utilizar mais água, vai devastar florestas para ter mais área para o cultivo;

⇒ com o crescimento populacional ainda temos o aumento da demanda por produtos industrializados. A indústria além de utilizar muita água, ainda é uma das prin­cipais poluidoras dos recursos disponíveis, tornando a água imprópria para o consumo.

 

Por isso é fundamental o uso consciente, evitando o desper­dício, ainda mais em países ou regiões que já sofrem com a falta de água. Outro problema polêmico é o acesso à água potável e ao sa­neamento básico, que é garantido como um direito universal. Mas sabemos que quanto mais pobre é o país, menos pessoas usufruem desse direito, aumentando o número de doentes e principalmente a mortalidade infantil.

A incerteza quanto à manutenção dos nossos recursos hídri­cos, influenciam diversos setores, como os, energéticos, ali­mentação, transporte e também os naturais como os biomas. Quanto ao uso energético, destacamos a construção de hidrelétricas, que precisam de uma grande represa para gerar pressão suficiente para produzir energia e sem água esse setor fica comprometido, afetando as residências e produção industrial.

Sobre a alimentação, a redução da oferta hídrica pode afetar a irrigação e consequentemente a disponibilidade de alimentos, que atualmente é crescente, graças ao aumento populacional, gerando o aumento dos preços com a redução da oferta. Para finalizar, os biomas estão adaptados ao clima, e caso haja alguma alteração com a disponibilidade da água, certa­mente teremos modificações e extinção de espécies.