[GER-HU] 10.1 – Apostila

IDADE CONTEMPORÂNEA II

1) Mundo dividido:

Após o final da Segunda Guerra Mundial, EUA e URSS que eram aliados, passaram por uma série de desentendimentos e dividiram o mundo com sua influência ideológica. O lado ocidental era representado pelos EUA capitalista e o lado oriental representado pela URSS socialista. Esse conflito é conhecido na história como Guerra Fria, mas antes de estuda-la, vamos compreender melhor esses dois sistemas socioeconômicos.

 

2) Capitalismo:

O capitalismo é um sistema socioeconômico onde os meios de produção têm um dono e a base para o seu funcionamento é o lucro. A concorrência é um fator muito importante no capitalismo, pois graças a ela temos a melhoria das mercadorias e avanço tecnológico.

A sua primeira fase é a clássica (também chamada de mercantilismo) onde tivemos a acumulação primitiva de capital, exploração de colônias e exportação dos produtos. As nações que mais se destacaram nesse período foram Portugal, Espanha, Inglaterra e França, pois eram as maiores colonizadoras, explorando escravos e acumulando metais preciosos. A segunda fase é a Industrial, marcada pelo aumento da produção, extração de matéria prima e do consumo. Além disso, tivemos uma grande exploração do trabalho e uma enorme desigualdade social.

A terceira fase é a financeira onde é forte o mercado de ações e é comum a união de indústrias e bancos. Essa fase é marcada pelo monopólio, quando uma única empresa concentra um setor da economia e também o oligopólio, quando um grupo de empresas se une, impedindo a concorrência de empresas menores.

 

3) Socialismo:

Nas economias socialistas o Estado detém todos os meios de produção, não havendo concorrência. Também podem ser chamadas de economias planificadas, já que o governo estabelece um plano econômico, independente das exigências do mercado. Em outras palavras, o Estado define e padroniza o que será produzido. O ideal desse sistema socioeconômico seria o de acabar com a luta de classes e a desigualdade social existente no capitalismo. Assim, poderíamos evoluir para o comunismo, onde não existiriam classes sociais e o Estado seria abolido, pois teríamos uma sociedade mundial.

É valido ressaltar que as economias socialistas ao longo das décadas foram sendo superadas e os países adotaram novamente o capitalismo. Algumas nações ainda persistem nesse modelo, como Cuba e Coreia do Norte. A China, ainda mantém-se fechada politicamente, mas há alguns anos abriu sua economia para o sistema capitalista.

 

4) Guerra Fria:

Como vimos após Segunda Guerra Mundial o mundo se dividiu em Capitalista e Socialista, gerando um forte clima de tensão entre EUA e URSS, o que poderia levar à Terceira Guerra Mundial. Mas desta vez, seria uma guerra nuclear, o que ameaçaria a vida humana no planeta. Neste contexto surge a ONU (Organização das Nações Unidas), na tentativa de garantir a paz mundial e teve apoio de 51 países, entre eles o Brasil.

A Europa estava destruída e precisava ser reerguida. Neste contexto, o presidente dos EUA ofereceu ajuda financeira para os países que adotassem o capitalismo. Era o Plano Marshall, que foi uma clara tentativa de conter o avanço do socialismo na Europa. O Leste Europeu ficou sob o domínio soviético, onde o Socialismo avançou. Assim o lado ocidental da Europa ficou sob o domínio dos capitalistas, enquanto o lado leste sob o domínio socialista, existindo o que chamamos de Cortina de Ferro, dividindo os dois blocos.

É importante destacar que os EUA ajudaram na recuperação do Japão. Parece incoerente, mas era preciso evitar o avanço do socialismo na Ásia. Na Alemanha tivemos sempre os maiores pontos de tensão. Berlim dividida entre os capitalistas e socialistas. Em 1961, a URSS construiu um muro (Muro de Berlim), dividindo a capital, impedindo assim a migração do lado socialista para o capitalista.

Militarmente dois grupos foram criados. Do lado Capitalista temos a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), que era uma aliança contra os socialistas, liderados pelos EUA. Do lado socialista tivemos o Pacto de Varsóvia. O perigo dessas alianças era provocar um conflito de proporções mundiais.

 

5) Corrida Armamentista e Espacial:

Era evidente que EUA e URSS se preparavam para uma possível guerra. Já em 1949, a URSS faz os seus primeiros testes nucleares e a busca por armas de destruição em massa eram cada vez mais recorrentes. A corrida espacial foi uma demonstração de desenvolvimento tecnológico, e as duas nações faziam questão de demonstrar esse poder, tentando dessa forma provar a superioridade do seu modelo. Em 1957, a URSS conseguiu lançar o seu primeiro satélite artificial, largando na frente. O novo objetivo era desenvolver mísseis de longo alcance e com maior precisão e como poderiam ser lançados por submarinos, todo o planeta estava ameaçado.

Em 1962, a URSS instala bases militares em Cuba e os EUA determinam um bloqueio naval a esse país. O medo era o da URSS furar o bloqueio e iniciar o conflito. Esse problema ficou conhecido como a Crise dos Mísseis. A pressão mundial fez com que eles assinassem um acordo de não proliferação das armas. A década de 1960 foi o auge da campanha espacial russa. Após lançar o satélite, ainda tivemos outros feitos que viraram notícia mundial. Como lançar o primeiro cachorro para o espaço, a primeira mulher e ainda coletaram material da Lua para análise.

Em resposta, John Kennedy prometeu que até o fim da década de 1960 eles seriam capazes de levar o homem à Lua e trazer de volta a Terra com segurança. Essa façanha foi conquistada em 1969, com a Apollo 11, em uma missão muito arriscada e cheia de problemas. É importante ressaltar que alguns conflitos armados ocorreram entre capitalistas e socialistas durante a Guerra Fria. Foi o caso da Guerra das Coreias, do Vietnã e do Afeganistão, mas não envolveram diretamente os EUA e URSS, que prestaram apoio logístico e bélico.

O fim da Guerra Fria ocorreu quando Mikhail Gorbatchev assume o poder na URSS e declara que o socialismo está falido. Anos investindo em armas e em missões ao espaço fizeram a URSS não ter recursos para investir adequadamente em infraestrutura básica. Logo Gorbatchev apresentou reformas econômicas e políticas, conhecidas como Perestroika e Glasnost, que abriu a URSS ao mercado externo e deu transparência à política, permitindo o surgimento de novos partidos. Nesse contexto, a luta entre EUA e URSS, perdeu o sentido, pois a URSS com a abertura econômica, torna-se capitalista. Em 1989 derrubam o muro de Berlim, e este fato simboliza o final da Guerra Fria.