[GER-LP] 27.1 – Apostila

CONCORDÂNCIA NOMINAL

Na concordância nominal, os determinantes do substantivo (adjetivos, numerais, pronomes adjetivos e artigos) alteram sua terminação (gênero e número) para se adequarem a ele, ou a pronome substantivo ou numeral substantivo, a que se referem na frase.

O problema da concordância nominal ocorre quando o adjetivo se relaciona a mais de um substantivo, e surgem palavras ou expressões que deixam em dúvida.

Observe estas frases:

Aquele beijo foi dado num inoportuno lugar e hora.

Aquele beijo foi dado num lugar e hora inoportuna.

Aquele beijo foi dado num lugar e hora inoportunos. (neste caso fica mais claro que o adjetivo refere-se aos dois substantivos)

 

⇒ Regra Gerala partir desses exemplos, pode-se formular o princípio de que o adjetivo anteposto concorda com o substantivo mais próximo. Mas, se o adjetivo estiver depois do substantivo, além da possibilidade de concordar com o mais próximo, ele pode concordar com os dois termos, ficando no plural, indo para o masculino se um dos substantivos for masculino.

Um adjetivo anteposto em referência a nomes de pessoas deve estar sempre no plural (As simpáticas Joana e Marta agradaram a todos).

Quando o adjetivo tiver função de predicativo, concorda com todos os núcleos a que se relaciona. (São calamitosos a pobreza e o desamparo / Julguei insensatas sua atitude e suas palavras).

Quando um substantivo determinado por artigo é modificado por dois ou mais adjetivos, podem ser usadas as seguintes construções:

  1. Estudo a cultura brasileira e a portuguesa;
  2. Estudo as culturas brasileira e portuguesa;
  3. Os dedos indicador e médio estavam feridos;
  4. O dedo indicador e o médio estavam feridos.

A construção: “Estudo a cultura brasileira e portuguesa”, embora provoque incerteza, é aceita por alguns gramáticos.

No caso de numerais ordinais que se referem a um único substantivo composto, podem ser usadas as seguintes construções:

“Falei com os moradores do primeiro e segundo andar./ (…) do primeiro e segundo andares.”

 

⇒ Adjetivos regidos pela preposição de, que se referem a pronomes indefinidos, ficam normalmente no masculino singular, podendo surgir concordância atrativa.

  1. Sua vida não tem nada de sedutor;
  2. Os edifícios da cidade nada têm de elegantes.

 

⇒ Anexo, incluso, obrigado, mesmo, próprio – são adjetivos ou pronomes adjetivos, devendo concordar com o substantivo a que se referem.

  1. O livro segue anexo;
  2. A fotografia vai inclusa;
  3. As duplicatas seguem anexas;
  4. Elas mesmas resolveram a questão.

Nota: Mesmo = até, inclusive é invariável (mesmo eles ficaram chateados) / expressão “em anexo” é invariável.

 

⇒ Meio, bastante, menos – meio e bastante, quando se referem a um substantivo, devem concordar com esse substantivo. Quando funcionarem como advérbios, permanecerão invariáveis. “Menos” é sempre invariável.

  1. Tomou meia garrafa de vinho;
  2. Ela estava meio aborrecida;
  3. Bastantes alunos foram à reunião;
  4. Eles falaram bastante;
  5. Eram alunas bastante simpáticas;
  6. Havia menos pessoas vindo de casa.

 

⇒ Muito, pouco, longe, caro, barato – podem ser palavras adjetivas ou advérbios, mantendo concordância se fizerem referência a substantivos.

  1. Compraram livros caros;
  2. Os livros custaram caro;
  3. Poucas pessoas tinham muitos livros;
  4. Leram pouco as moças muito vivas;
  5. Andavam por longes terras;
  6. Eles moram longe da cidade;
  7. Eram mercadorias baratas;
  8. Pagaram barato aqueles livros.

 

⇒ É bom, é proibido, é necessário – expressões formadas pelo verbo ser + adjetivo não variam se o sujeito não vier determinado, caso contrário a concordância será obrigatória.

  1. Água é bom;
  2. A água é boa;
  3. Bebida é proibido para menores;
  4. As bebidas são proibidas para menores;
  5. Chuva é necessário;
  6. Aquela chuva foi necessária.

 

⇒ Só = sozinho (adjetivo. – var.) / só = somente, apenas e não flexiona.

  1. Só elas não vieram;
  2. Vieram só os rapazes.

 

⇒ Só forma a expressão “a sós” (sozinhos).

 

⇒ A locução adverbial “a olhos vistos” (= visivelmente) é invariável (ela crescia a olhos vistos).

 

⇒ Conforme = conformado é um adjetivo variável. Conforme = como e não flexiona.

  1. Eles ficaram conformes com a decisão;
  2. Dançam conforme a música.

 

⇒ O (a) mais possível (invariável) / as, os mais possíveis (é uma moça a mais bela possível / são moças as mais belas possíveis).

 

⇒ Os particípios concordam como adjetivos.

  1. A refém foi resgatada do bote;
  2. Os materiais foram comprados a prazo;
  3. As juízas tinham iniciado a apuração.

 

⇒ Haja vista – não se flexiona, exceto por concordância atrativa antes de substantivo no plural sem preposição.

  1. Haja vista (hajam vistas) os comentários feitos;
  2. Haja vista dos recados do chefe.

 

⇒ Pseudo, salvo (= exceto) e alerta não se flexionam

  1. Eles eram uns pseudo-sábios;
  2. Salvo nós dois, todos fugiram;
  3. Eles ficaram alerta.

 

⇒Os adjetivos adverbializados são invariáveis (vamos falar sério / ele e a esposa raro vão ao cinema)

 

⇒ Silepse com expressões de tratamento – usa-se adjetivo masculino em concordância ideológica com um homem ao qual se relaciona a forma de tratamento que é feminina.

  1. Vossa Majestade, o rei, mostrou-se generoso;
  2. Vossa Excelência é injusto.