[GER-LP] 2.1 – Apostila

FONÉTICA (CONTINUAÇÃO)

Divisão Silábica

Principais regras:

1. Encontros consonantais inseparáveis (formados geralmente por ℓ ou r).

Exemplos:

re – cla – mar
re – ple- to
pa – trão
mne – mô – ni co
pneu – má- ti – co
pseu – dô – ni – mo

Obs.: quando uma palavra começar por consoante não seguida de vogal, torna-se parte integrante da 1ª sílaba.

2. Encontros consonantais separáveis ocorrem no interior das palavras e, geralmente, são formados de duas consoantes.

Exemplos:

ad-ven-to
ob-tu-so
suc-ção
naf-ta
cons-tar
mag-nó-lia
abs-tra-to
rit-mo

Obs.: As palavras lindo, renda, samba não são enquadradas na regra 2, isto porque as letras m/n em final de sílaba, não representam fonemas, mas sim letras nasalizadoras.

3.Não se separam ditongos.

Exemplos:

ó-pio
pei-xe
fi-éis
coi-ta-do
mui-to
ca-pi-tães

Obs.: Muitos ditongos crescentes são classificados, também como hiatos, justificando, assim, a separação de alguns deles.

-ia, -ie, -io, -ua, -ue, -uo

his – tó – ri – a
his – tó – ria

pi – a – da
pia – da

4. Não se separam tritongos.

Exemplos:

U – ru – guai
sa – guão

5. Separam-se os hiatos.

Exemplos:

Sa – a – ra
vo – o
ra – i – nha

6. Dígrafos.

a) Separam-se os dígrafos rr/ss/sc/xc/sc.

Exemplos:

car-ro
as-sas-si-no
nas-ci-men-to
nas-ça
ex-ce-to

b) Não se separam os dígrafos lh/nh/ch/gu/qu.

Exemplos:

pa-lha
u-nha
cha-ve
guer-ra
quei-xa

7. Não se levam em conta os elementos mórficos das palavras (prefixos, radicais, etc.).

Exemplos:

tran-sa-tlân-ti-co
bi-sa-vô

Obs.: Somente o prefixo sub acompanhado de certas palavras não se separa.

Exemplos:

sub-ter-râ-neo
sub-ma-ri-no
su-bes-ti-mar

[GER-LP] 1.1 – Apostila

FONÉTICA

Fonética é a parte da Gramática que estuda os fonemas, ou seja, são os sons mais simples que entram na formação das palavras.

Ex.: A palavra “GATO” tem 4 fonemas: /G//A/T//O/. É importante notar que fonema é Som. Na escrita, o fonema é representado pela Letra.

* FONEMA: Som
* LETRA:  Símbolo gráfico do fonema
* DÍGRAFO: Dígrafo é o conjunto de 2 letras que representam um único fonema, ou seja, um único som. Os dígrafos são os seguintes:

Dígrafo

Exemplo

SS paSSo
RR caRRO
NH uNHa
LH veLHa
CH CHute
QU QUero
GU GUerra
SC naSCe
deSÇa
XC eXCeto

CLASSIFICAÇÃO DOS FONEMAS

Vogais

São os sons que chegam livremente ao meio exterior, ou seja, não encontram barreira para a passagem do ar. A vogal é sempre a base da sílaba, isto é, não existe sílaba sem vogal; por outro lado, não existe sílaba com mais de uma vogal.
As vogais são: A, E, I, O, U. A representação das vogais orais são: /a/, / ε /, /e/, /i/, / /, /o/ e /u/.

Ex.: casa

Semivogais

São os fonemas /i/ e /u/ que aparecem ligados a uma vogal.
Entre as semivogais incluem-se as letras “o” com som de /u/ e “e” com som de /i/.

Ex.: leite

 

Consoantes

São fonemas que não podem ser pronunciados sozinhos. Por isso, se apóiam numa vogal para serem emitidos. São eles : B,C,D,F,G, etc.

Ex.: morar

Obs. : Não há semivogal sem vogal. E não pode existir consoante sozinha na sílaba.

 

ENCONTROS FONÉTICOS

I – Encontros Vocálicos

a) Ditongo

É a combinação de uma vogal + semivogal (ou vice-versa) na mesma sílaba. Os ditongos classificam-se em:

*ORAIS – pronunciados exclusivamente pela boca
Ex. fEIxe, herOI

*NASAIS – pronunciados, em parte, pelo nariz.
Ex.: mÃE, mUIto, pÕE

*CRESCENTES – formados por semivogal+vogal.
Ex.: sérIE, pátrIA, qUAtro.

*DECRESCENTES – formados por vogal+semivogal.
Ex.: pAUta, amEIxa, herOIs.

Obs.: O grupo GU/QU poderá causar um pouco de confusão, por isso, preste atenção:
QUE           QUI
GUE           GUI

Serão dígrafos, quando a letra U não for pronunciada.

Exemplos:
queijo (qeijo)
guitarra (gitarra)

Serão ditongos, quando a letra U for pronunciada.

Exemplos: linguiça, aguenta, cinquenta

b) Tritongo

É o conjunto semivogal+vogal+semivogal, pronunciados na mesma sílaba.

Ex.: qUAIs, sagUÃO, míngUAM, ParagUAI

Obs.: Nos tritongos nasais uam/uem não aparece escrita a 3ª semivogal.

c) Hiato

É o encontro de dois sons vocálicos pronunciados em sílabas diferentes.

Ex.: sde (sa-ú-de); cAIr (ca-ir); mOEnda (mo-en-da); rAInha (ra-i-nha)

 

II – Encontro Consonantal

a) Perfeito

Quando as consoantes não se separam na sílaba.

Exemplos:
pro – ble – ma
cla– ro

b) Imperfeito

Quando as consoantes se separam em sílabas diferentes.

Exemplos:
afta
ritmo