[GER-LP] 9.1 – Apostila

MORFOLOGIA III

Na aula anterior, foram estudados os dois principais processos de formação de palavras: composição E derivação. Há além deles, alguns outros processos menos produtivos, que são:

1) Redução

Esse processo acontece com a diminuição de alguns fonemas da palavra.

Exemplos:

foto (de fotografia)
pneu (de pneumático)
moto (de motocicleta)

 

2) Hibridismo

Dizemos que uma palavra é formada por hibridismo, quando na formação dela entram palavras pertencentes a idiomas diferentes.

Exemplos:

sócio(latim) + logia (grego) = sociologia (hibridismo)
tele (grego) + visão (latim) = televisão (hibridismo)

 

3) Onomatopeia

Quando a palavra nasce de uma tentativa de imitar sons da natureza.

Exemplos:

tique-taque, reco-reco, zunzum

[GER-LP] 8.1 – Apostila

MORFOLOGIA II: PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE PALAVRAS

Em português existem vários processos segundo os quais se formam novas palavras. Os dois processos principais são: Composição e Derivação.

1) Composição

Dizemos que uma palavra é formada por Composição quando, para formá-la, se juntam duas ou mais palavras. A composição pode ocorre por:

a) Justaposição: quando as palavras que se juntam não sofrem alteração gráfica, ou seja, não perdem nenhuma letra.

Exemplos:

passatempo (passa + tempo)
couveflor (couve + flor)
girassol (gira + sol)

 

b) Aglutinação: quando as palavras que se juntam sofrem alteração gráfica, isto é, perdem letra (ou letras).

Exemplos:

aguardente (água + ardente)
embora (em + boa + hora)
planalto (plano + alto)

 

2) Derivação

É o processo pelo qual uma palavra nova (derivada) se forma a partir de uma única palavra já existente (chamada primitiva). A Derivação pode ocorre por:

a) Prefixação: quando à palavra primitiva acrescentamos um prefixo.

Exemplos:

refazer (    re             +  fazer)

 ↓                       ↓

prefixo             palavra primitiva

 

preconceito (        pré          +       conceito)

↓                            ↓

  prefixo                palavra primitiva

 

b) Sufixação: Acrescenta-se um sufixo à palavra primitiva.

Exemplos:

ponteiro (ponta     +     eiro)

↓                     ↓

plv. primitiva            sufixo

 

realmente (real     +     mente)

↓                     ↓

plv. primitiva           sufixo
           

c) Parassíntese (também chamada derivação parassintética): Ocorre quando a um determinado radical acrescentam-se, ao mesmo tempo, um prefixo e um sufixo.

Exemplos:

repatriar (      re     +     pátria     +     ar)

↓                 ↓                ↓

                prefixo       plv. prim.    sufixo

 

amanhecer ( a     +     manhã     +     ecer)

↓                 ↓                    ↓

prefixo        plv. prim.        sufixo

 

d) Derivaçao Regressiva: ocorre com a substituição da terminação de um verbo por “a”, “e” ou “o”.

Exemplos:

busca (substantivo) – vem do verbo buscar
resgate (substantivo) – vem do verbo resgatar.
choro (substantivo) – vem do verbo chorar.

Repare que toda palavra formada por derivação regressiva termina em “a”, “e”ou “o” e sempre indica uma ação.

e) Derivação Imprópria: Dizemos que uma palavra é formada por derivação imprópria quando ela, pertencendo normalmente a uma certa classe de palavras, passa a pertencer a uma outra classe.

Exemplo:

 fumar (verbo)                o fumar (substantivo)

derivação imprópria

[GER-LP] 7.1 – Apostila

MORFOLOGIA I

Introdução

Nas aulas anteriores, vimos a palavra de um ponto de vista fonético, seus sons vocálicos, consonantais. E a representação desses sons através das letras. Vimos também que existem certas regras para o uso das letras e para a divisão das mesmas sílabas.

Agora, nesses próximos capítulos estudaremos a palavra do ponto de vista morfológico, ou seja, como é formada a palavra, quais as partes que determinam o gênero e o número das palavras, como sabermos se um verbo é da 1a ou da 2a conjugação?

A morfologia explica essas questões. Os elementos que se unem para formar as palavras são chamados elementos estruturais. Os elementos estruturais (ou mórficos) mais importantes das palavras são:

1) Radical

É a parte básica que contém o significado da palavra. Um mesmo radical pode, é claro, aparecer em mais de uma palavra.

Exemplos: NOVo, reNOVar, NOVidade, iNOVação, etc.

As palavras que apresentam o mesmo radical pertencem a mesma Família de Palavras.

2) Prefixo

É o elemento que colocamos antes do radical. É um recurso produtivo, pois o prefixo tem por função formar novas palavras.

Exemplos: DESligar, IMpor, Anormal, etc.

 

3) Sufixo

Tem a mesma função que o prefixo, no entanto é colocado após o radical.

Exemplos: novIÇO, saudÁVEL, pontEIRO, etc.

Obs.: O prefixo e o sufixo são chamados de Afixos.

4) Desinências

Desinência é a parte final da palavra e serve para indicar as a classe a qual essa palavra pertence. Pode ser classificada em:

a) Desinência nominal: indica o gênero eo número da palavra, ou seja, indica se a palavra está no masculino, ou no feminino, no singular ou no plural.

Exemplos:

novO – o “o” indica masculino
novoS – o “s” indica plural

b) Desinência verbal: indica o número (singular ou plural), a pessoa (1ª,2ª ou 3ª), o tempo (presente, futuro ou pretérito) e o modo (indicativo, subjuntivo ou imperativo) dos verbos.

Exemplo:

viveMOS – “mos” indica 1ª pessoa do plural

 

c) Vogais temáticas: São as vogais “A”, “E” e “I” usadas para indicar a conjugação dos verbos.

Exemplos:

falAr – “A” indica a 1ª conjugação
vivEr – “E” indica a 2ª conjugação
sorrIr – indica a 3ª conjugação

d) Tema: É o radical acrescido de uma vogal (chamada vogal temática). É próprio das formas verbais.

Exemplos:

bater – r = bate
partir – r = parti

Principais prefixo gregos e latinos

Latino Grego Significado Ex. latim Ex. grego
AMBI ANFI duplicidade ambidestro anfíbio
BI(S) DI duas vezes bípede dípode
COM SIN conjunto concordar sintaxe
EX EX para fora exportar êxodo
SEMI HEMI metade semicírculo hemisfério

Principais radicais gregos

Radicais Sentido Exemplo
ÁCROS- elevado acrópole
-AGOGO que conduz demagogo
-ALGIA dor cefalalgia
ANTROPO- homem antropologia
ARQUEO- antigo arqueologia
-CÉFALO cabeça cefalalgia
DEMO- povo democracia
-EDRO face, base poliedro
-FAGO que come antropófago
-FOBIA temor hidrofobia
GEO- terra geologia
-GRAMA escrita, peso quilograma
PSICO- alma psicologia