[GER-LP] 24.1 – Apostila

PERÍODO COMPOSTO (Continuação)

3) Orações Subordinadas Adverbiais:

No período:

De manhã, partiremos para a vila”.

O termo “de manhã” exerce a função sintática de adjunto adverbial de tempo. Transformando o período acima em um período composto, teremos:

Quando amanhecer, partiremos para a vila”.

Neste período, a oração “quando amanhecer” também exerce a função de adjunto adverbial. É por esse motivo que ela é chamada oração subordinada adverbial.

a) Classificação das subordinadas adverbiais

Da mesma forma que os adjuntos adverbiais, as orações subordinadas adverbiais são classificadas de acordo com as circunstâncias que exprimem:

⇒ Oração subordinada adverbial causal

Exemplo:

Conjunções causais: porque, que, como, uma vez que

 

⇒ Oração subordinada adverbial condicional

Exemplo:

Conjunções condicionais: se, desde que, a menos que

 

⇒ Oração subordinada adverbial conformativa

Exemplo:

Conjunções conformativas: como, conforme, segundo

 

⇒ Oração subordinada adverbial concessiva

Exemplo:

Conjunções concessivas: embora, mesmo que, ainda que

 

⇒ Oração subordinada adverbial consecutiva

Exemplo:

Conjunções consecutivas: (tão) que, (tanto) que

 

⇒ Oração subordinada adverbial comparativa

Exemplo:

Conjunções comparativa: como, (mais) que, (menos) que

 

⇒ Oração subordinada adverbial temporal

Exemplo:

Conjunções temporais: quando, enquanto, logo que, desde que, assim que

 

⇒ Oração subordinada adverbial final

Exemplo:

Conjunções finais: para que, a fim de que, que

 

⇒ Oração subordinada adverbial proporcional

Exemplo:

Conjunções proporcionais: á proporção que, á medida que

Dica: Algumas conjunções (que, como, etc…) podem pertencer a mais de uma classe. É necessário, por isso, prestar bastante atenção ao sentido que têm no texto, para classificar corretamente a oração que elas iniciam.

[GER-LP] 23.1 – Apostila

PERÍODO COMPOSTO (Continuação)

2) Orações subordinadas adjetivas:

Oração subordinada adjetiva é aquela que tem valor e a função dos adjetivos. A oração adjetiva sempre se refere a um nome da oração principal e sempre começa por um pronome relativo.

Pronomes Relativos
que – quem – o qual – cujo – onde – quanto

 

Exemplo:

 

a) Classificação das orações adjetivas

Quanto ao sentido, as orações subordinadas adjetivas classificam-se em:

⇒ Adjetivas restritivas: Tem por função restringir, limitar, tornar mais exata a significação do nome a que se referem. São, por esse motivo, indispensáveis ao sentido da frase. Na escrita, as subordinadas adjetivas restritivas não ficam isoladas por vírgulas.

Exemplos:

O soldado que vi na rua está naquele bar.
Onde está o livro que comprei ontem?

 

Adjetivas explicativas: Acrescentam ao nome uma qualidade acessória, esclarecem melhor sua significação, dão uma informação adicional de um ser que já se acha suficientemente definido.
Na escrita, as adjetivas explicativas são isoladas por vírgulas.

Exemplos:

Deus, que é nosso Pai, nos salvará.

oração subord. adjetiva explicativa

 

O homem, que é mortal, julga-se eterno.

oração subord. adjetiva explicativa

[GER-LP] 22.1 – Apostila

PERÍODO COMPOSTO

Conforme já ficou explicado anteriormente, Período Composto é aquele constituído de duas ou mais orações.
Para a constituição de um período composto, podem ser usados dois processos: a coordenação e a subordinação.

Temos, então:
a) Período composto por coordenação
b) Período composto por subordinação

1) Período composto por subordinação:

Oração principal e oração subordinada

O período: “Todos esperam sua volta” é um período simples, pois apresenta uma só oração. Nele podemos distinguir os seguintes termos:

Se transformarmos o período simples acima em um período composto, teremos:

Todos esperam    que você volte

1ª oração             2ª oração

Nesse período, a 1ª oração apresenta o sujeito “todos” e o verbo transitivo direto “esperam”, mas não apresenta o objeto direto de “esperam”. Por isso, a 2ª oração é que deve funcionar como objeto direto do verbo da 1ª oração. Verificamos, então que:

⇒ A 1ª oração não exerce, no período acima, nenhuma função sintática. Por esse motivo ela é chamada de Oração principal.

⇒ A 2ª oração depende da 1ª, serve de terreno da 1ª (objeto direto) e completa-lhe o sentido. Por esse motivo a 2ª oração é chamada Oração subordinada.

As orações subordinadas classificam-se, de acordo com seu valor ou função, em:
a) orações subordinadas substantivas
b) orações subordinadas adjetivas
c) orações subordinadas adverbiais

a) Orações subordinadas substantivas

No período:

“Todos aguardam sua resposta

Além disso, podemos notar que o núcleo do objeto direto é o substantivo “resposta”.

Transformando o período acima em um período composto, temos:

“Todos aguardam / que você responda”

no qual podemos distinguir:

Daí temos a classificação da oração “que você responda”, oração subordinada substantiva objetiva direta.

 

b) Classificação das orações subordinadas substantivas

As orações subordinadas substantivas vem normalmente, iniciadas pela conjunção “que” (chamada conjunção integrante) e, às vezes, pela conjunção “se” (também integrante). Essas orações, segundo a função que exercem, classificam-se em:

  1. Oração subordinada substantiva subjetiva
  2. Oração subordinada substantiva objetiva direta
  3. Oração subordinada substantiva objetiva indireta
  4. Oração subordinada substantiva predicativa
  5. Oração subordinada substantiva completiva nominal
  6. Oração subordinada substantiva apositiva