[GER-LP] 34.1 – Apostila

PRONOMES

1) Pronome Pessoal:

O pronome pessoal é do caso reto quando tem função de sujeito na frase. O pronome pessoal é do caso oblíquo quando desempenha função de complemento. Vamos entender, primeiramente, como o pronome pessoal surge na frase e que função exerce.

Observe as orações:

1. Eu não sei essa matéria, mas ele irá me ajudar.
2. Maria foi embora para casa, pois não sabia se devia lhe ajudar.

Na primeira oração os pronomes pessoais “eu” e “ele” exercem função de sujeito, logo, são pertencentes ao caso reto. Já na segunda oração, observamos o pronome “lhe” exercendo função de complemento, e consequentemente é do caso oblíquo.

Os pronomes pessoais indicam as pessoas do discurso, o pronome oblíquo “lhe” da segunda oração aponta para a segunda pessoa do singular (tu/você): Maria não sabia se devia ajudar…. Ajudar quem? Você (lhe).

Importante: Em observação à segunda oração, o emprego do pronome oblíquo “lhe” é justificado antes do verbo intransitivo “ajudar” porque o pronome oblíquo pode estar antes, depois ou entre locução verbal, caso o verbo principal (no caso “ajudar “) estiver no infinitivo ou gerúndio.

Exemplo:

Eu desejo lhe perguntar algo.
Eu estou perguntando-lhe algo.

 

2) Pronome Oblíquo:

Os pronomes pessoais oblíquos podem ser átonos ou tônicos: os primeiros não são precedidos de preposição, diferentemente dos segundos que são sempre precedidos de preposição.

⇒ Pronome oblíquo átono: Joana me perguntou o que estava fazendo.

⇒ Pronome oblíquo tônico: Joana perguntou para mim o que eu estou fazendo.

 

COLOCAÇÃO PRONOMINAL

De acordo com as autoras Rose Jordão e Clenir Bellezi, a colocação pronominal é a posição que os pronomes pessoais oblíquos átonos ocupam na frase em relação ao verbo a que se referem.

São pronomes oblíquos átonos: me, te, se, o, os, a, as, lhe, lhes, nos e vos.

O pronome oblíquo átono pode assumir três posições na oração em relação ao verbo:

  1. próclise: pronome antes do verbo
  2. ênclise: pronome depois do verbo
  3. mesóclise: pronome no meio do verbo

 

1) Próclise:

A próclise é aplicada antes do verbo quando temos:

⇒ Palavras com sentido negativo:

Nada me faz querer sair dessa cama.
Não se trata de nenhuma novidade.

 

⇒ Advérbios:

Nesta casa se fala alemão.
Naquele dia me falaram que a professora não veio.

 

⇒ Pronomes relativos:

A aluna que me mostrou a tarefa não veio hoje.
Não vou deixar de estudar os conteúdos que me falaram.

 

⇒ Pronomes indefinidos:

Quem me disse isso?
Todos se comoveram durante o discurso de despedida.

 

⇒ Pronomes demonstrativos:

Isso me deixa muito feliz!
Aquilo me constrangeu a mudar de atitude!

 

⇒ Preposição seguida de gerúndio:

Em se tratando de qualidade, o Brasil Escola é o site mais indicado à pesquisa escolar.

 

⇒ Conjunção subordinativa:

Vamos estabelecer critérios, conforme lhe avisaram.

 

2) Ênclise:

A ênclise é empregada depois do verbo. A norma culta não aceita orações iniciadas com pronomes oblíquos átonos. A ênclise vai acontecer quando:

⇒ O verbo estiver no imperativo afirmativo

Amem-se uns aos outros.
Sigam-me e não terão derrotas.

 

⇒ O verbo iniciar a oração

Diga-lhe que está tudo bem.
Chamaram-me para ser sócio.

 

⇒ O verbo estiver no infinitivo

Eu não quis vangloriar-me.
Gostaria de elogiar-te hoje pelo bom trabalho.

 

⇒ O verbo estiver no gerúndio

Não quis saber o que aconteceu, fazendo-se de despreocupada.
Despediu-se, beijando-me a face.

 

⇒ Houver vírgula ou pausa antes do verbo

Se passar no vestibular em outra cidade, mudo-me no mesmo instante.
Se não tiver outro jeito, alisto-me nas forças armadas.

 

3) Mesóclise:

A mesóclise acontece quando o verbo está flexionado no futuro do presente ou no futuro do pretérito:

A prova realizar-se-á neste domingo pela manhã.
Far-lhe-ei uma proposta irrecusável.

[GER-LP] 14.1 – Apostila

PRONOMES I

Considere a frase:

“Marcos, encontrei tua caneta no chão, mas não a apanhei pois ela estava quebrada.”

As palavras “a” e “ela”, na frase acima, estão substituindo o substantivo caneta. Já a palavra “tua” acompanha o substantivo “caneta”, indicando que ela pertence a Marcos. As palavras “tua”, “a” e “ela”, na frase acima, são pronomes.

Podemos dizer então que:

Pronomes são palavras que representam (substituem) um substantivo, ou acompanham um substantivo, limitando a significação dele.

1) Pronomes substantivos e Pronomes adjetivos:

Quando um pronome é empregado junto a um substantivo, ele é chamado Pronome Adjetivo já quando um pronome aparece isolado, sozinho na frase, ele é chamado Pronome Substantivo.

Exemplo:

Alguém      encontrou     meu           livro?

  ↓                                          ↓                   ↓

pronome                              pronome         substantivo
substantivo                         possessivo
indefinido                              adjetivo

 

Encontrei tua caneta, mas não a peguei.

  ↓                                    ↓

pronome adjetivo            pronome substantivo

 

2) Classificação dos Pronomes:

O pronome pode ser:

• Pessoal
• Possessivo
• Demonstrativo
• Indefinido
• Interrogativo
• Relativo

 

a) Pronomes Pessoais:

Pronomes pessoais são aqueles que substituem os nomes e representam as classes gramaticais. As pessoas gramaticais são três:

1ª pessoa (a que fala): eu, nós
2ª pessoa (com quem se fala): tu, vós
3ª pessoa (de que se fala): ele(s), ela(s)

 

Quadro dos Pronomes Pessoais:

Pronomes Pessoais Caso Oblíquo
Pronomes Pessoais Caso Reto Átonos (sem preposição) Tônicos (com preposição)
Eu

Tu

Ele(a)

Me

Te

Se, o, a lhe

Mim, comigo

Ti, contigo

Si, ele, ela, consigo

Nós

Vós

Eles(as)

Nos

Vos

Se, os, as, lhes

Nós, conosco

Vós, convosco

Si, eles, elas, consigo

» Emprego dos Pronomes Pessoais

Os pronomes oblíquos me, nos, te, vos e se podem indicar que a ação praticada pelo sujeito reflete-se no próprio sujeito. Nesses casos são chamados Pronomes Reflexivos.

Exemplo:

Eu me machuquei. (me ⇒ pronome reflexivo)

Os pronomes oblíquos nos, vos e se, quando significam “um ao outro”, indicam a reciprocidade (troca) da ação. Nesse caso são chamados Pronomes Reflexivos Recíprocos.

Exemplo:

Eles se entendem. (se : pronome reflexivo recíproco).

 

» Eu ou Mim?

Eu (pronome reto) só pode funcionar como sujeito, enquanto mim (pronome oblíquo) só pode funcionar como objeto. Daí temos:

Ela trouxe o livro para eu ler. (certo)
Ela trouxe o livro para mim. (certo)
Ela trouxe o livro para mim ler. (errado!!!)

 

b) Pronomes de Tratamento:

Os pronomes de tratamento são pronomes pessoais usados no tratamento cerimonioso e cortês das pessoas. Os principais pronomes de tratamento são:

Pronome de Tratamento Usado para
Vossa Alteza (V.A.) príncipes, duques
Vossa Majestade (V.M.) reis
Vossa Santidade (V.S.) papa
Vossa Eminência (V.Em.ª) cardeais
Vossa Excelência (V.Ex.ª) autoridades em geral

 

c) Pronomes Possessivos:

Pronomes possessivos são aqueles que se referem às pessoas gramaticais, indicando o que lhes cabem ou lhes pertencem.

Exemplo:

Suas opiniões são iguais às minhas.

 

Quadro dos pronomes Possessivos

1ª pessoa (singular) meu, minha, meus, minhas
2ª pessoa (singular) teu, tua, teus, tuas
3ª pessoa (singular) seu, sua, seus, suas
1ª pessoa (plural) nosso, nossos, nossa, nossas
2ª pessoa (plural) vosso, vossos, vossa, vossas
3ª pessoa (plural) seu, sua, seus, suas

Nota: Quando usamos pronomes de tratamento, o pronome possessivo deve ficar na 3ª pessoa.

Exemplo:

Vossa Majestade depende de seu povo.

↓                                      ↓

3ª pessoa                   pronome de tratamento

 

[GER-LP] 15.1 – Apostila

PRONOMES II

1) Pronomes Demonstrativos:

Pronomes demonstrativos são os que indicam a posição dos seres.

Exemplo:

Aquela casa não é igual a esta.

 

Quadro dos Pronomes Demonstrativos

VARIÁVEIS INVARIÁVEIS
masculinos femininos
este, estes esta, estas isto
esse, esses essa, essas isso
aquele, aqueles aquela, aquelas aquilo

» Emprego dos Demonstrativos
Os pronomes demonstrativos este(s), esta(s) e isto são usados para indicar que o objeto está perto de quem fala.

Exemplo:

Este livro que está comigo é muito raro.

 

Os pronomes demonstrativos esse(s), essa(s) e isso são usados para indicar que o objeto está perto de quem ouve.

Exemplo:

Essa faca que está com você é perigosa.

 

Os demonstrativos aquele(s), aquela(s) e aquilo são usados para indicar que o objeto está longe de quem fala e longe de quem ouve.

Exemplo:

Aquela casa lá é muito antiga.

 

Também funcionam como pronomes demonstrativos as palavras: o(s), a(s), mesmo(s), mesma(s), semelhante(s), tal e tais, em frases como:

Viajaremos hoje, não o sabias? (o = isto)
Ontem eles disseram as mesmas coisas.
Quem diz o que quer, ouve o que não quer.
Tais mentiras não se dizem!

 

2) Pronomes Indefinidos:

Pronomes indefinidos são os que se aplicam à 3ª pessoa gramatical, quando considerada de modo vago e indeterminado.

Exemplo:

Acreditam em tudo que lhe dizem certos amigos.
Poucas pessoas nos compreenderam.

 

Quadro dos Pronomes Indefinidos

VARIÁVEIS INVARIÁVEIS
algum(uns), alguma(s) alguém
nenhum(uns), nenhuma(s) ninguém
todo(s), toda(s) tudo
outro(s), outra(s) outrem
muito(s), muita(s) nada
pouco(s), pouca(s) cada
certo(s), certa(s) algo
tanto(s), tanta(s)
quanto(s), quanta(s)
qualquer, quaisquer

 

3) Pronomes Interrogativos:

Pronomes Interrogativos são aqueles empregados para fazer uma pergunta direta ou indireta. Os pronomes interrogativos são os seguintes: que, quem, qual, quais, quanto(s), quanta(s).

Exemplo:

Que horas são?
(interrogativa direta).

Quero saber que horas são.
(interrogativa indireta).

 

4) Pronomes Relativos:

São aqueles que se relacionam a um substantivo anterior, chamado antecedente, substituindo-o na oração seguinte.

Exemplo:

Eu vi o homem. O homem invadiu a casa

Eu vi o homem que invadiu a casa.

 

Quadro dos pronomes relativos

VARIÁVEIS INVARIÁVEIS
Masculino Feminino
o qual, os quais a qual, as quais que
cujo, cujos cuja, cujas quem
quanto, quantos quanta, quantas onde