[GER-BI] 13.1 – Apostila

SISTEMA GENITAL

O sistema genital divide-se em masculino e feminino, e são dependentes da herança cromossômica XX (mulher) ou XY (homem). Nos homens desenvolvem-se os testículos e o pê­nis, enquanto que nas mulheres desenvolvem-se os ovários e a vagina.

 

1) Aparelho Genital Masculino:

Os testículos têm como principal função a produção dos espermatozoides, e ficam externamente ao corpo, envoltos pelo saco escrotal, que tem esse posicionamento para manter a temperatura adequada à fertilidade. A medida que os espermatozoides são produzidos nos canais seminíferos, são conduzidos para o epidídimo para o armazenamento. De lá seguem para os canais deferentes, passando pela próstata e formado o duto ejaculador, que recebe secreções das vesícu­las seminais. Por fim, desembocam na uretra (que é o canal em comum também ao sistema urinário).

O sêmen é formado na ejaculação, justamente pela mistura das secreções das vesículas seminais (rica em frutose para nutrir os espermatozoides), próstata (de caráter alcalino para neutralizar o pH em contado com a vagina) e glândulas mucosas. Para que ocorra a ejaculação, o pênis é estimulado até ficar ereto, graças ao fluxo de sangue para dentro do corpo cavernoso.

 

2) Aparelho Genital Feminino:

Os ovários se ligam ao útero através das trompas uterinas. O canal entre a abertura externa e o útero é a vagina. Ao contrário dos homens, o sistema urinário é independente, não se conectando ao genital.

Na fase embrionária a mulher começa a produzir os folículos primários em seus ovários, que maturam e geram o ovócito. Quando nasce, esses folículos são cerca de 600.000, mas ao longo da vida vão regredindo até que, chegando a puberda­de, apresentam metade desse total. Em cada ciclo menstrual, as mulheres eliminam um ovócito de cada vez, intercalando cada um dos ovários, sendo um total de 450 a 500 ao todo, até que atinja a menopausa.

A maturação do folículo ocorre pelo hormônio folículo esti­mulante (FSH), que atua sobre o ovário que, quando pronto, se rompe e libera o ovócito, ocorrendo a ovulação. A medida que o ovócito vai amadurecendo, o útero, ditado por ações hormonais, vai produzindo nova camada de endométrio, preparando-se para possível gravidez.

O ciclo menstrual, que dura cerca de 28 dias, se inicia no 1º dia da menstruação. Esta é a fase que ocorre o despren­dimento do endométrio que reveste o útero. A ovulação ocorrerá sempre na metade desse ciclo, ou seja, no 14º dia. Esse ovócito vive entre 24 e 48 horas e, podendo ser fecun­dado nas trompas. Caso não ocorra a fecundação do ovócito, o endométrio sofre nova descamação e inicia-se a menstrua­ção, promovendo novo ciclo.

Ocorrendo a fecundação, o zigoto/ovo formado é conduzido até o útero, fixando-se ao endométrio (nidação), e formando a placenta, que é o tecido comum do embrião e do útero. Depois de 9 meses, o trabalho de parto começa graças a ação da ocitocina, que promove contrações uterinas.

Métodos anticoncepcionais:são medicamentos, dispositivos ou maneiras que podem ser empregadas para que se evite a gravidez. Eles podem ser reversíveis (camisinha, pílulas, DIU) ou irreversíveis (vasectomia e ligação das trompas uterinas).