[GER-LP] 17.1 – Apostila

VERBOS II

1) Formação dos principais tempos verbais:

A formação dos principais tempos verbais pode ser estudado através das etapas a seguir:

a) 1ª Etapa: presente do indicativo e presente do subjuntivo. Da 1ª pessoa do Singular do Presente do Indicativo forma-se o Presente do Subjuntivo. Conjugando-se os dois tempos, tendo como exemplo o verbo FALAR, tem-se:

Essa derivação não é válida para os verbos:
SER (eu – que eu seja)
ESTAR (eu estou – que eu esteja)
IR (eu vou – que eu vá)
DAR (eu dou – que eu dê)
HAVER (eu hei – que eu haja)
SABER (eu sei – que eu sabia)

b) 2ª Etapa: formação do imperativo afirmativo e negativo.

⇒ Imperativo afirmativo
É formado a partir de dois Presentes (o do Indicativo e o do Subjuntivo) da seguinte maneira:
Do Presente do Indicativo usamos as 2as pessoas (TU e VÓS), eliminando o “S” do final.
Do Presente do Subjuntivo usamos as demais pessoas (VOCÊ, NÓS, VOCÊS), sem nenhuma alteração.

Exemplo: Verbo “VIVER”

Nota: Só Para o verbo “SER” é que essa derivação não é válida. Para ele (verbo “SER”), temos na 2ª pessoa do singular e do plural as alterações:
Sê tu (e não: É tu)
Sede vós (e não: Sai vós)

Imperativo Negativo
Esse tempo tem todas as suas formas exatamente iguais às do Presente do Subjuntivo.

Exemplo: Verbo “FALAR”

c) 3ª Etapa: Pretérito Perfeito e seus derivados. O pretérito perfeito ( que significa passado perfeito, terminado) é um tempo primitivo, isto é, ele não vem de nenhum outro tempo verbal. Ele, no entanto, dá origem a três outros tempos verbais conforme o esquema abaixo:

Exemplo: verbo “Falar”

d) 4ª Etapa: Formação dos Tempos Futuros

Futuro do Presente: Forma-se pelo acréscimo de determinadas desinências ao infinitivo.

Exemplo: Verbo “partir”

Futuro do Pretérito: Da mesma forma que no caso acima, tem-se:

Exemplo de conjugação de um verbo:

Pres. Indicativo Pres. Subjuntivo Imperativo Afirmativo Imperativo Negativo Futuro Subjuntivo Pret. Imperf. Subjuntivo
Eu vejo Que eu veja ………… …………. Quando eu vir Se eu visse
Tu vês Que tu vejas Vê tu Não vejas tu Quando tu vires Se tu visses
Ele vê Que ele veja Veja você Não veja você Quando ele vir Se ele visse
Nós vemos Que nós vejamos Vejamos nós Não vejamos nós Quando nós virmos Se nós víssemos
Vós vedes Que vós vejais Vede vós Não vejais vós Quando vós virdes Se vós vísseis
Eles veem Que eles vejam Vejam vocês Não vejam vocês Quando eles virem Se eles vissem
Pret. Perfeito Pret. Mais que Perfeito Pret. Imperf. Indicativo Futuro Pres. Indicativo Futuro Pret. Indicativo Infinitivo Pessoal
Eu vi Eu vira Eu via Eu verei Eu veria Ver eu
Tu viste Tu viras Tu vias Tu verás Tu verias Veres tu
Ele viu Ele vira Ele via Ele verá Ele veria Ver ele
Nós vimos Nós víramos Nós víamos Nós veremos Nós veríamos Vermos nós
Vós vistes Vós víreis Vós víeis Vós vereis Vós veríeis Verdes vós
Eles viram Eles viram Eles viam Eles verão Eles veriam Verem eles
Infinitivo Pessoal Gerúndio Particípio
ver vendo visto

[GER-LP] 16.1 – Apostila

VERBOS I

1) Introdução:

Vamos considerar as seguintes frases:

Os invasores incendiaram a cidade.

(ação)

 

A multidão estava impaciente.

(estado)

 

No domingo, choveu muito.

(fenômeno)

As palavras grifadas nas frases acima são verbos. Podemos, então dizer que: verbo é a palavra que exprime um fato (ação, estado, fenômeno) situado no campo.

 

2) Flexões do Verbo:

O verbo é a classe que apresenta o maior número de flexões. Ele varia em:

⇒ Número: Singular, Plural.
⇒ Pessoa: 1ª, 2ª, 3ª.
⇒ Tempo: Presente, Passado, Futuro.
⇒ Modo: Indicativo, Subjuntivo, Imperativo.
⇒ Voz: Passiva, reflexiva.

 

3) Estudo dos Verbos:

a) Conjugações Verbais

O verbo possui três conjugações:

⇒ 1ª conjugação (terminação – AR): andar, falar.
⇒ 2ª conjugação (terminação – ER): viver, dizer.
⇒ 3ª conjugação (terminada – IR): dividir, partir.

Obs.: O verbo “pôr” (e derivados dele) é considerado um verbo de 2ª conjugação, pois ele tem origem no verbo “POER”.

b) Números e Pessoas Verbais:

Singular
1ª pessoa: Eu
2ª pessoa: Tu
3ª pessoa: Ele (Ela)
Plural
1ª pessoa: Nós
2ª pessoa: Vós
3ª pessoa: Eles (Elas)

 

c) Tempos verbais:

⇒ Presente: indica fatos que estão ocorrendo no momento em que se fala.

Exemplos:

Eu escrevo.
Eles estudam.

 

⇒ Pretérito (passado): indica fatos que acontecem antes do momento em que falamos.

Exemplos:

Ontem eu escrevi.
Eles morreram de sede.

 

⇒ Futuro: indica fatos que acontecem depois do momento em que falamos.

Exemplo:

Eu escreverei uma carta amanhã.

 

d) Modos verbais:

⇒ Indicativo: exprime atitudes de certeza.

Exemplos:

Eu escrevi uma carta.
Paulo viajará amanhã.

 

⇒ Subjuntivo: exprime uma ação duvidosa, incerta.

Exemplos:

Talvez eu escreva uma carta.
Se ela me escrevesse…

 

⇒ Imperativo: exprime uma atitude de ordem, de pedido ou de conselho.

Exemplo:

Escreva seu nome aqui.
Não façam nenhum trabalho.

 

e) Formas Nominais do Verbo:

São formas nominais do verbo:

⇒ Infinitivo: terminação em “R” (andar, viver, etc.)

⇒ Gerúndio: terminação em “NDO” (andando, vivendo, etc.)

⇒ Particípio: termina, normalmente, em “ADO” na primeira conjunção e em “IDO” na segunda e na terceira. (amado, vivido, partido, etc.)

 

f) Composição dos modos verbais:

modo tempo exemplo
Indicativo Presente

Pretérito perfeito

Pretérito imperfeito

Pret. mais que perfeito

Futuro do presente

Futuro do pretérito

Eu VIVO

Eu VIVI

Eu VIVIA

Eu VIVERA

Eu VIVEREI

Eu VIVERIA

Subjuntivo Presente

Pretérito imperfeito

Futuro

Que eu VIVA

Se eu VIVESSE

Quando eu VIVER

Imperativo Afirmativo

Negativo

VIVE tu

Não VIVAS tu

g) Vozes Verbais:

É a forma em que se apresenta o verbo para indicar a relação entre ele e o sujeito. São três as vozes verbais:

⇒ Voz ativa: Quando o sujeito pratica a ação expressa pelo verbo.

Exemplo:

prefeito inaugurou a estrada.

↓                   ↓

sujeito       ação

 

⇒ Voz passiva: Quando o sujeito recebe a ação verbal.

A voz passiva pode ser:
Analítica: formada por um verbo auxiliar (ser, estar ou ficar) + o particípio do verbo que indica a ação.

Exemplo:

A cidade foi invadida pelas abelhas.

↓          ↓            ↓

sujeito    verbo     ação

 

Sintética (ou pronominal): formada por um verbo que indica ação + o pronome “SE”, o qual recebe o nome de pronome apassivador.

Exemplo:

Inaugurouse a avenida.

↓            |            ↓

ação              ↓        sujeito

pronome apassivador

 

⇒ Voz reflexiva: quando o sujeito pratica e recebe a ação.

Exemplo:

O lenhador machucou-se.

Sujeito

Obs.: Nesse caso o “se” é pronome reflexivo.

 

h) Classificação dos verbos quanto à conjugação:

Regulares: são os verbos conjugados de acordo com o modelo da conjugação a que pertencem. Esse tipo de verbo não sofre alteração no radical ao ser conjugado.

Exemplos:

andar, viver, partir, etc.

 

Irregulares: são os verbos que sofrem alteração no radical ao serem conjugados.

Exemplos:

O radical do verbo PEDIR é “PED”. No entanto, repare abaixo como o radical desse verbo se altera, quando o conjugamos.

Eu PEÇo,
Tu PEDes,
Ele PEDe
Nós PEDimos
Vós PEDis
Eles PEDem

Outros exemplos de verbos irregulares:
Fazer: Eu fiz; eu faço; eu farei; etc. (note a alteração que sofre o radical desse verbo)
Ser: Eu sou; eu era; eles foram; etc. (note a grande alteração sofrida por esse verbo)

Nota: Os verbos ESTAR, HAVER, SER, IR, VIR e PÔR, pelo fato de serem muito irregulares recebem o nome de verbos ANÔMALOS.

 

Defectivos: são os verbos que apresentam defeitos, isto é, falhas em sua conjugação.

Exemplos:

abolir (não exite eu “abulo”), colorir, falir, etc.

 

Abundantes: são os verbos que têm duas formas de mesmo valor.

Exemplos:

aceitar: aceitado e aceito.
acender: acendido e aceso.
eleger: elegido e eleito.
matar: matado e morto.
prender: prendido e preso.

 

Auxiliares: são os verbos que ajudam a conjugação de outro verbo, chamado de verbo principal. Os verbos auxiliares mais utilizados são: ser, estar, ter e haver.

Exemplo:

A cidade foi invadida pela águas.

↓                ↓

verbo              verbo
auxiliar         principal